Página Principal   Livros   Casos Reais Resolvidos e Explicados   Volume I   Remissões 
=

Remissões

 

Aqui pode obter os documentos, ficheiros e outras ligações para os quais existem remissões no Volume I do livro Cálculo Financeiro. Casos Reais Resolvidos e Explicados.

 

Nas duas primeiras colunas da tabela abaixo (Pág. e Nota) indicam-se, respetivamente, o número da página e o número da nota de rodapé a partir dos quais é efetuada a remissão.

 
 
Pág. Nota Documento Tamanho
19 2 Artº 279º do Código Civil. 2 págs – 141 KB
148 40 DL nº 88/2008, de 29 de Maio (na sequência da Deliberação tomada em Conselho de Ministros no dia 3 de Abril de 2008) – Altera o Decreto–Lei n.º 51/2007, de 7 de Março, o Decreto–Lei n.º 430/91, de 2 de Novembro e o Decreto–Lei n.º 171/2007, de 8 de Maio. 4 págs – 168 KB
148 41 Decreto–Lei nº 240/2006, de 22 de Dezembro – Regras a que deve obedecer o arredondamento da taxa de juro (crédito à habitação). 4 págs – 165 KB
148 41
Decreto–Lei nº 51/2007, de 7 de Março – Regula as práticas comerciais das instituições de crédito e assegura a transparência da informação por estas prestada no âmbito da celebração de contratos de crédito à habitação.
6 págs – 184 KB
148 41 Decreto–Lei nº 171/2007, de 8 de Maio – Estabelece as regras a que deve obedecer o arredondamento da taxa de juro nos contratos de crédito em geral (estende as regras estabelecidas, a esse nível, para o crédito à habitação através do Decreto–Lei nº 240/2006, de 22 de Dezembro, às restantes operações de crédito). 3 págs – 164 KB

 

parajumper norge moncler jakke parajumper salg uggs salg parajumper jakke barbour jakke canada goose norge canada goose jas parajumpers jassen moncler muts belstaff jas moncler jas duvetica jas peuterey jas
 
Testemunhos Enviar
Feijó Mendes 2014-06-05 Universidade Jean Piajet de Angola / Luanda Estudante Li o primeiro capítulo, já não e jamais serei a mesma pessoa, divulgando mais o livro muitos sentiriam outros em relação ao cálculo financeiro. Bem haja.
Ver todos
 
Termo do dia Ver Glossário
Renda perpétua
Diz-se habitualmente que uma renda é perpétua se o seu número de termos é ilimitado. É uma má definição. É preferível dizer que uma renda é perpétua se o seu último termo já não acrescentar valor significativo ao valor actual (global) da renda (numa renda perpétua só faz sentido calcular o respectivo valor actual, não o valor acumulado). É perfeitamente possível que uma renda com 100 termos, por exemplo (número limitado e baixo, portanto) possa ser considerada como "perpétua" (basta que a taxa seja suficientemente elevada para que o valor actual do 100º termo se aproxime de 0). No fundo, o que determina se uma renda é perpétua ou temporária não é (apenas) o número dos seus termos, mas sim o número de termos e (também) a taxa considerada.
(c) 2014 Rogério Matias. Todos os direitos reservados.