Página Principal   Livros   Teoria e Prática   2ª Edição   Descrição 
=

Descrição

 

Tendo sido mantida a estrutura geral da obra, foi efectuada uma revisão geral à  1ª edição, da qual resultaram os seguintes aspectos diferenciadores:

  • Melhoramento e aprofundamento da apresentação das matérias, em especial dos três capítulos iniciais e, destes, em particular do Cap. 3 - Equivalência de Capitais, enriquecido com novos temas e novos exemplos. Foi dada especial atenção à elaboração das equações de equivalência, essencial à verdadeira compreensão dos problemas.
  • Inclusão de Exercícios de Aplicação Propostos no Cap. 1 - Introdução e no Anexo I - Conceitos Fundamentais de Matemática e Alguns Exemplos de Aplicação no Cálculo Financeiro.
  • Inclusão de referência a legislação recente, sempre que pertinente.
  • Inclusão de um Índice Remissivo.
  • Melhoria geral ao nível do grafismo, procurando tornar a obra mais apelativa e a leitura mais fluida e agradável.
  • Inclusão de um CD-ROM com diverso material complementar e de apoio.
  

   EDIÇÃO  
  ANO   2007
  ISBN   978-972-592-210-1
  PÁGS   785
  NOTA   Esgotado

 

parajumper norge moncler jakke parajumper salg uggs salg parajumper jakke barbour jakke canada goose norge canada goose jas parajumpers jassen moncler muts belstaff jas moncler jas duvetica jas peuterey jas
 
Testemunhos Enviar
José António Viana Marques Gomes 2006-11-14 U.T.A.D. - Pólo de Vila Real Reformado Grato pelo aparecimento de um livro de excelente qualidade que, no meu ponto de vista, já há muito fazia falta. É um autêntico tratado que explica de modo simples os principais assuntos base para um conhecimento integral das matérias do Cálculo Financeiro.
Ver todos
 
Termo do dia Ver Glossário
Renda perpétua
Diz-se habitualmente que uma renda é perpétua se o seu número de termos é ilimitado. É uma má definição. É preferível dizer que uma renda é perpétua se o seu último termo já não acrescentar valor significativo ao valor actual (global) da renda (numa renda perpétua só faz sentido calcular o respectivo valor actual, não o valor acumulado). É perfeitamente possível que uma renda com 100 termos, por exemplo (número limitado e baixo, portanto) possa ser considerada como "perpétua" (basta que a taxa seja suficientemente elevada para que o valor actual do 100º termo se aproxime de 0). No fundo, o que determina se uma renda é perpétua ou temporária não é (apenas) o número dos seus termos, mas sim o número de termos e (também) a taxa considerada.
(c) 2014 Rogério Matias. Todos os direitos reservados.